Motta - Sprinklers - Características Térmicas

Existem muitas decisões que precisam ser tomadas quando se trata de projetar um sistema de combate a incêndio, como o tipo de sistema de sprinklers deve ser instalado, que tipo de tubulação deve ser usada e até mesmo qual sprinkler deve ser selecionado. Quando os fabricantes têm mais de cem tipos diferentes de sprinklers, pode ser difícil saber qual escolher.

Certas características dos sprinklers ajudarão a determinar qual tipo é apropriado para sua situação específica. A NFPA 13, Norma para instalação de sistemas de sprinklers, identifica várias características de sprinklers, incluindo sensibilidade térmica, classificação de temperatura, fator k, orientação de instalação, características de distribuição de água e condições especiais de serviço. Embora tudo isso seja importante, concentraremos em duas propriedades específicas dos sprinklers: sensibilidade térmica e classificação de temperatura.

Sensibilidade Térmica

A sensibilidade térmica de um sprinkler mede a rapidez com que o elemento de aquecimento funciona. Talvez, a maneira mais comum de medir a sensibilidade térmica seja o Indice de Tempo de Resposta (ITR). Os sprinklers são então classificados como padrão ou de resposta rápida com base em seu ITR.

O ITR é normalmente determinado pela realização de um teste de imersão no qual um sprinkler é colocado em um fluxo de ar laminar aquecido dentro de um forno de teste. Em seguida, o tempo de funcionamento do sprinkler, a temperatura de operação do elemento sensível ao calor, a temperatura do ar do forno de teste, a velocidade do ar do forno de teste e o fator de condutividade do sprinkler são usados ​​para calcular o ITR . Fatores adicionais afetam a resposta, como classificação de temperatura do sprinkler, posição do sprinkler, exposição ao fogo e radiação.

Embora seja importante entender tudo isso, a verdadeira questão é: o que isso significa ao selecionar os sprinklers?

Certas situações exigem tipos específicos de classificações de sensibilidade térmica de acordo com a NFPA 13, mas vamos nos concentrar no conceito mais amplo do por quê você pode escolher um sprinkler de resposta rápida em vez de um sprinkler de resposta padrão ou vice-versa.

Deve-se observar que vários outros fatores afetarão quando e com que rapidez um sprinkler funcionará em condições reais de incêndio. Variáveis ​​como altura do teto, espaçamento entre sprinklers, temperatura ambiente e a distância do sprinkler abaixo do teto afetarão o tempo de operação. No entanto, se todos esses elementos forem mantidos constantes, um sprinkler de resposta rápida funcionará mais cedo do que um sprinkler de resposta padrão.

Em algumas situações, como uma ocupação de risco leve, isso é ideal. Uma vez que uma ocupação de baixo risco tem uma baixa quantidade e combustibilidade de conteúdo, esperamos que o crescimento do fogo seja relativamente lento em comparação com outras classificações de perigo. Portanto, um sprinkler de resposta rápida abrirá mais cedo e será capaz de controlar o incêndio.

Em outras situações, abrir mais cedo não é o ideal e, portanto, um sprinkler de resposta padrão é preferível ou mesmo necessário. Em certas aplicações de armazenamento, onde o crescimento do fogo é muito mais rápido, o uso de sprinklers de resposta rápida pode abrir sprinklers adicionais para os quais o sistema foi projetado. Isso pode resultar em menos água e pressão fluindo de cada sprinkler, gerando menos água no incêndio real e, finalmente, tornando o sistema de sprinklers ineficaz no controle do incêndio. Se sprinklers padrão fossem usados, menos sprinklers funcionariam, e isso poderia fornecer tempo suficiente para que esses sprinklers controlassem o incêndio antes que outros operassem.

Classificação de Temperatura

Olhando atentamente para sprinklers com bulbos de vidro, você deve ter notado que existem bulbos de cores diferentes. As cores identificam a classificação de temperatura do sprinkler. A classificação de temperatura do sprinkler selecionado precisa considerar a temperatura ambiente máxima do teto, bem como a classificação de ocupação. A não consideração da temperatura ambiente máxima do teto pode resultar na operação acidental dos sprinklers, pois os sprinklers são ativados pelo calor. Se o sprinkler não tiver um bulbo de vidro, então o braço da armação, defletor ou material de revestimento geralmente terá alguma cor para indicar a classificação de temperatura.

As classificações de temperatura variam de ordinário, que tem uma classificação de temperatura de 135-170°F (57-77°C) a Ultra Alta, que tem uma classificação de temperatura de 650°F (343°C). A instalação de sprinklers comuns ou intermediários com uma classificação de temperatura de 175-225°F (79-107°C) geralmente é necessária, a menos que uma determinada situação exija uma classificação de temperatura mais alta. Alguns exemplos de situações que exigem classificações de temperatura mais altas são sprinklers instalados em equipamentos de cozinha industrial e sprinklers instalados a certas distâncias de fontes de calor.

Conclusão

À primeira vista, pode parecer que a sensibilidade térmica e a classificação de temperatura tratam da mesma preocupação. No entanto, não são. A sensibilidade térmica determina a rapidez com que um sprinkler funcionará, enquanto a classificação de temperatura é baseada na temperatura ambiente do teto. Entretanto, em ambos os casos, é importante que todos os sprinklers em um determinado compartimento tenham a mesma sensibilidade térmica e classificação de temperatura. Esperamos que o sprinkler mais próximo do fogo funcione primeiro. Se aquele sprinkler sozinho não puder controlar o fogo, então consideramos que os mais próximos, funcionem. Esse padrão continuaria até que sprinklers suficientes sejam abertos para controlar o incêndio.

No entanto, se diferentes sensibilidades térmicas ou classificações de temperatura forem usadas, ao invés dos sprinklers mais próximos operarem, você pode ter uma situação em que um sprinkler mais próximo do fogo não funcione e um sprinkler mais distante funcione. Isso pode ter consequências negativas no desempenho do sistema.

Deve-se observar que apenas uma combinação de sprinklers de temperatura ordinária e intermediária é permitida em todo o edifício, a menos que uma situação específica exija o uso de um sprinkler de classificação mais alta, como proximidade de uma fonte de calor ou altas temperaturas no ambiente.

Ou seja, especificar os sprinklers ideais para cada operação demanda conhecimento técnico e criterioso para que o melhor equipamento seja instalado na proteção contra incêndio. A Motta é distribuidora da Tyco, maior fabricante mundial de sprinklers certificados, possuindo amplo portfólio para atender inúmeras exigências de projeto. Procure sempre empresas renomadas e que tenham credibilidade para fornecer produtos de qualidade e garantia.

Fonte: Valerie Ziavras (NFPA)

Compartilhe a postagem: